FANDOM


Em 12/10/2011, alguns dias após sua libertação, René González enviou uma mensagem ao povo Cubano, falando sobre como se sente e pede ao povo de Cuba que o ajudem na luta pela libertação dos outros quatro agentes que continuaram presos.


Mensagem de René González ao povo de Cuba

ESTAS palavras são para meu povo, a quem as devo desde o dia em que saí do cárcere e que não puderam ser enviadas pelas circunstâncias que existiam, pois havia necessidade de termos uma viagem segura, antes de que pudéssemos fazê-las chegar.

É difícil, realmente, dirigir-se, mediante a filmagem de uma câmera, a um povo que se quer tanto e do qual a gente sente que faz parte, porém necessitava comunicar-me com vocês e dizer-lhes quanta gratidão sentimos por tudo aquilo que fizeram, explicar-lhes que nos temos sentido muito acompanhados pelas milhares de mensagens, as cartas das crianças, de todos os coletivos de trabalho e de estudo que, de Cuba, nos têm enviado suas mensagens, o apoio que nunca nos faltou e que nos alimentou nestes anos de injustiça, que já são demasiados.

Para mim, este momento de felicidade que compartilhamos é, simplesmente, um parêntese em uma história de abusos na qual, ainda, não houve um mínimo de justiça. O fato de que eu esteja agora, fora do cárcere apenas significa que se esgotou a enxurrada de abusos à que tinha sido submetido; mas ainda temos quatro irmãos aos que temos que resgatar e que necessitamos que estejam junto a nós, com seus familiares; que estejam entre vocês, dando o melhor deles e não nesses lugares em que estão, onde se levantam, acordam cada manhã, vão a um refeitório no qual não devem comer, andam entre pessoas que não devem andar e, realmente, necessitamos continuar esta luta para levá-los a eles adiante.

Para mim, isto é somente uma trincheira, um lugar novo no qual vou continuar lutando para que se faça justiça e os Cinco possamos retornar junto a vocês.

Quero mandar uma saudação especial aos familiares dos outros quatro irmãos, que realmente me comoveram devido a sua alegria. Realmente, comove-me imenso quando falo pelo telefone com uma pessoa que sabe que tem seu filho preso, seu esposo preso e recebe a liberdade minha como se fosse a liberdade de um dos seus. A mim, realmente, isso me comove e me compromete, e temos que continuar travando esta luta, porque eles não merecem estar onde estão.

A todo meu povo, a todos os que nestes anos nos têm acompanhado no mundo todo, que foram milhares, através dos quais temos podido, aos poucos, ir rompendo este bloqueio informativo, ir rompendo o silêncio que as megacorporações da imprensa mantiveram neste caso, lhes transmito, de parte dos Cinco, meu mais profundo agradecimento, meu compromisso de continuar representando vocês como merecem, que, afinal, é o que estamos fazendo os Cinco, porque não somos somente Cinco, somos um povo todo que soube resistir durante 50 anos, e graças a isso é que nós ainda estamos resistindo, porque nos inspiramos em vocês, porque sabemos que os representamos e nunca vamos a falhar e sempre estaremos à altura que vocês merecem.

Um abraço para todos.

Os Cinco queremos vocês onde quer que estivermos. [1]

Referências

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.